Samya de Lavor é artista. Iniciou seus estudos em teatro no Grupo Balaio em 1997 na cidade de Fortaleza – Ceará. Integrou o Grupo Bagaceira de Teatro de 2005 a 2016 participando ativamente dos processos de criação, formação, produção e gestão. Estudou com diversos encenadores, pesquisadores de teatro e dança e realizadores de cinema. É graduada pelo Curso de Teatro da UFC e foi aluna da 1º turma de audiovisual da Escola Porto Iracema das Artes.

Acompanhou, como gestora, ações em Teatro na escola Vila das Artes como também nos Laboratórios de Criação do Porto Iracema.

Faz cinema desde 2001. Os filmes em que atuou estiveram presentes nos principais festivais nacionais e internacionais tais como: Locarno, Veneza, Marrakech, Roterdã, Rio, Tiradentes…

O curta “Céu Limpo” lhe rendeu o prêmio de melhor atriz nos seguintes festivais: VII Festival de cinema de Maringá e no Curta Neblina. Recebeu por sua atuação no longa “O Último Trago” o troféu Candango de melhor atriz coadjuvante do 49º Festival de Cinema de Brasília. Na VII Mostra de Cinema de Iguatu, recebeu o troféu de melhor atriz por sua atuação no curta “Oceano”.

Ultimamente tem se experimentado na função de preparadora de elenco. Inicialmente no longa de Marcelo Gomes no ano de 2018 e, posteriormente, no longa de Pedro Diógenes, em 2021. Ambos ainda sem data de estreia.